quarta-feira, fevereiro 22

Joaninha Voa-Voa

Joana Amaral Dias fez hoje 24 críticas de aniversário ao Governo.
Mostra que tem novamente o bicho carpinteiro do Bloco no corpinho.

O Pedro Sá não resistiu em descarregar sobre ela as confusões que o PS em Oeiras vai vivendo.


Entre o 8 e o 80, aceitando o guião de 'Joana Vicente', aqui vão algumas considerações, contabilizadas aos pontos:

1 - O Governo aumentou os impostos, ao contrário do que havia prometido na campanha.
É verdade. E no mesmo estilo que já o havia feito Durão Barroso.
Claro que, agora, diminui um pouco o peso do IRS via retenção na fonte, caso contrário o crowding-out fiscal seria fatal.
Mas lá que aumentou, aumentou. (0-1)
2 - Nomeações. Os argumentos e os exemplos do costume.
Dever-se-ia assumir de uma vez por todas que, para implementar um programa do Governo, é necessária (alguma) confiança política na Administração Pública. E a correspondente responsabilização. (1-1)
3 - Acumulação de reformas e moralização. É inaceitável atacar o primeiro Governo que fez alguma coisa neste domínio. (1-2)
4 - Silêncio sobre o arrastão de Carcavelos. Enfim... Who Care's? (1-3)
5 - Péssima gestão e intervenção nos fogos florestais. É demagógico. O Governo actuou com os meios que havia. Mas este ano a responsabilidade política já é outra. (1-4)
6 - Dossier da IVG. Aqui tínhamos que recuar a Guterres. Contudo... (2-4)
7 - Adiamento da verdadeira e necessária reforma fiscal. Soundbyte. (2-5)
8 - Não revogação do Código do Trabalho. Esta não era uma proposta eleitoral do BE? É realista andar a remexer neste assunto? (2-6)
9 - Actualização salarial de 1,5% na Função Pública. Era possível mais? Será que o Estado também já joga no Euromilhões? (2-7)
Mas 200.000 despedimentos? A que propósito? (3-7)
10 - Aumento do desemprego. É uma realidade. 8% ou mesmo 10,9!! (4-7)
Mas, Sá, e a promessa de criação de emprego? (5-7)
11 - Atribuição de 40% do PIDDAC para obras públicas. Decisão fundamental numa política económica Keynesiana, em contraste com a linha Ferreira Leite. Joana, pergunte ao Louçã que ele explica. (5-8)
12 - Obscurantismo em torno da OTA? Era o que havia nos últimos 30 anos. Há, finalmente, uma decisão. Se todas as opções de política fossem consensuais, fáceis e óbvias, até o Bloco de Esquerda podia ser Governo. (5-9)
13 - Choque Tecnológico. A Joana devia andar pelos Estados-Unidos quando os Estados-Unidos estiveram por cá... (5-10)
14 - Orçamento de Estado para a Cultura. É o que há. E é por causa da subsidiodependência de muitos que os Pedros Sás vão falando... (6-11)
15 - Dança das cadeiras nos institutos do Ministério da Cultura. Ver ponto 2. (6-12)
16 - Tentativa de quebra do poder sindical. Perdão? (6-13)
17 - Aumento das propinas. Perdão? (6-15)
18 - Intenção de suprimir os exames de Português e de Filosofia. Perdão? (6-16)
19 - Criação de base de dados genética. Perdão? Porque não fala a Joana com a Clara Pinto Correia lá nos States ? (6-17)
20 - A coincineração estava no programa eleitoral. Foi claramente sufragado, até em Souselas! (6-18)
21 - Lei da nacionalidade melhor. Ora bem.Devia ser melhor? Como tudo na vida.
22 - Desinvestimento na saúde. Perdão? Quanto muito desinvestimento na dívida do sector... (6-19)
23 - Balbúrdia na Justiça. E o princípio da separação de poderes? (6-20)
24 - Deploráveis declarações no caso das caricaturas. Completamente de acordo. (7-21)

Balanço final: Bom Senso 21 - Joana Bloco Amaral Tem Dias 7.

Joaninha voa-voa para o Bloco.
Volta, que estás perdoada.

2 Comments:

At 16:24, Blogger HB said...

Mário: concordo com as tuas observações mas tens de poupar a nossa Joaninha que é muito querida. Malha nos argumentos e elogia a... figura. Abraços

 
At 20:11, Blogger Tonibler said...

Concordo com o hb! Não puxemos muito por méritos que ela não tem e elogiemos aqueles que claramente tem.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home