sábado, outubro 30

The land of confusion

As eleições do próximo dia 2 Nov estão ao rubro. O que se está a passar desde há dois meses mais não é que a prova de que as sondagens e/ou respectivos comentários têm que ser lidos com o maior cuidado.

Até há uma mês atrás os battleground states eram considerados 9/10 e para muitos a corrida resumia-se a 3 (Florida, Ohio e Pennsylvania) que pela sua dimensão representariam a vitória, afirmando a generalidade de comentadores de que quem fosse vencedor em dois destes teria os almejados 270 votos no colégio eleitoral. Como seria natural os candidatos e suas entourages foram de tal forma influenciados que concentraram as suas atenções em cada vez menos estados.

Nesta última semana as previsões, baseadas nas eleições anteriores e sondagens desde o ínicio do ano, começaram a sair furadas. Os estados que podem fazer pender a balança começam, com base em sondagens cada vez mais frequentes, a passar para 16 e para alguns analistas para 18. A corrida está ao rubro e a convicção de que são das mais, se não as mais, disputadas eleições de sempre é agora uma realidade.

De salientar da parte de Bush o bom trabalho nos estados ganhos por Gore de Novo México, Iowa, e Hawai, bem como a ameaça de Minnesota e Wisconsin.

Por parte de Kerry a possível conquista de New Hampshire e a ameaça de Colorado e West Virginia.

No que respeita aos estados com maior número de votos temos:

- Florida - a verdadeira confusão - as sondagens são demasiado dispares para serem levadas a sério, mesmo nas mesmas empresas, podendo a vitória cair para ambos
- Ohio - uma pequeníssima vantagem de Kerry nos últimos dias poderá prever que caia para os democratas
- Pennsylvania - apesar de no último mês Bush ter tido possibilidade de ganhar o estado Kerry assumiu ligeira vantagem
- Michigan - ganho por Gore por uma margem de 5 pontos está agora a dar uma ligeira vantagem a Bush o que poderá demonstrar um apontar de baterias para outro lado por parte de Kerry
- New Jersey - a grande aposta de Bush com grande enfase no tema do terrorismo está a dar frutos num estado ganho por Gore por 16 pontos e é dado por alguns como empatado depois de ter sido dado como garantido por Kerry

As oscilações das últimas semanas e dias demonstram não só que existem muitos factores que podem fazer mudar a opinião dos votantes à ultima hora como também que os media têm cada vez maior peso na decisão política o que pode levar os estrategas das campanhas a cometer alguns erros de casting.

De salientar ainda que o forcing final de mobilização feito em 2000 pelos sindicatos e pela comunidade negra que levou Gore a recuperar a desvantagem que trazia nas últimas semanas de campanha levou a que os republicanos tivessem a lição estudada para este ano e farão com certeza idêntico esforço no seu eleitorado, visto que o preparam desde as últimas eleições. De salientar que a Zogby considerada bastante fiável vem dando um crescimento de Kerry e mesmo a vitória na sondagem publicada hoje 47-46 e 3% indecisos (atenção claro à margem de erro 2.9%).

Por tudo isto e já que não podemos votar, apesar de muitos o quererem, resta esperarmos pelo resultado que se fôr como se prevê poderá demorar largos meses em batalhas jurídicas com advogados a serem preparados desde há muito não para reeditar o pós voto de 2000 mas para o ampliar ainda mais.

Será uma noite bem longa ...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home